Dicas para montar e organizar seu espaço de trabalho

Olá meninas e meninos!


Como conversamos lá pelo nosso Instagram, vamos falar um pouco sobre organização do espaço de trabalho.

Esse artigo é mais voltado para quem está querendo montar um cantinho só seu para trabalhar com scrapbooking, mas as dicas com certeza servem para qualquer pessoa, e não só para artesanato. Se você quer apenas organizar um escritório em casa, um espaço para fazer seus planejamentos na agenda/planner, um local para estudo das crianças etc, as dicas aqui também podem te ajudar!

Por que é tão bom ter um espaço dedicado?

Imagina essa situação:

Você está começando a fazer scrapbooking ou outra atividade artesanal, tem os materiais básicos e já começou a se aventurar comprando outros para testar. A quantidade de papéis está crescendo, os enfeitinhos se espalhando, ferramentas aumentando de número.

Aquela gavetinha (ou espacinho no armário) já está ficando lotada, os materiais estão se misturando e já está ficando difícil encontrar o que você precisa. Quando pensa em fazer algum projeto, lembra que tem que tirar tudo do armário, os materiais da gaveta, e levar pra mesa de jantar. E não falta muito tempo para a hora da próxima refeição… será que vale a pena o trabalho?

Você até se anima um pouco, porque queria tanto usar aquele material novo que comprou, e decide que vale a pena sim. Então se lembra que da última vez que ocupou a mesa com seus projetos, teve que tirar tudo correndo de cima dela antes de terminar, porque seus filhos queriam fazer o trabalho da escola. Ou que o marido pousou as chaves do carro, um bando de papéis que trouxe da rua e um copo molhado quase em cima dos seus delicados enfeites.

Aí bate aquela preguiça de passar por tudo isso de novo e você acaba desistindo. Melhor deixar pra outro dia…

Alguém aí se identifica com essa história? Eu sim, e já passei por isso várias vezes (de certa forma, continuo passando).


Contei essa historinha (real) antes de começar pra ressaltar o quanto eu acho importante a gente ter um espacinho só nosso, dedicado às atividades artesanais. Mesmo sem ter um cômodo só pra isso, ou mesmo um grande espaço, sempre existem formas de se organizar melhor e ter um local próprio, onde a gente possa trabalhar sem precisar guardar tudo correndo depois, ou arriscar de ter um trabalho ou material destruído.

Eu mesma não tenho muito espaço, trabalho dentro do meu quarto (sendo que este é, de fato, o meu trabalho, não apenas um hobby), e me organizo da melhor forma possível dentro dos limites que posso ocupar, para tudo fluir bem.

A falta de um espaço dedicado torna-se um obstáculo a mais a vencer, porque todos nós já temos que lidar com as obrigações da rotina, o cansaço, a falta de tempo, a procrastinação etc.


Agora que já falei das vantagens de ter um espaço dedicado, vamos às dicas! – Mas olha só, se você não encontrou mesmo nem um cantinho pra chamar de seu, não se desespere! Lá no final do artigo dei algumas sugestões para esse caso também, tá? : )

Dicas práticas para criar seu próprio espaço

Essa ilustração mostra algumas das dicas que veremos a seguir.


Local


Se tiver um cômodo disponível, ótimo, mas se não for o seu caso, sem problema. Dê uma boa olhada na sua casa, procure de preferência um espaço onde haja luz natural, o que faz muita diferença na hora de trabalhar. Mesmo que a princípio ache que não tem espaço sobrando, observe a sua casa com outros olhos. Possivelmente algum móvel pode ser substituído, mudar de lugar ou de função. Muitas vezes um cantinho é suficiente para se organizar.


Montando o básico


O básico para trabalhar com conforto é ter uma mesa e uma cadeira minimamente confortável –  isto é, se você gosta de trabalhar sentada, pois algumas pessoas preferem trabalhar em pé (nesse caso, você pode usar um balcão ou mesa alta como superfície de trabalho). Por menor que seja, essa superfície será sua (se preciso, peça aos familiares para respeitar esse espaço e não pousar nada em cima).


Providencie uma boa iluminação, principalmente se pretende trabalhar a noite ou se não tiver boa iluminação natural. No meu caso, infelizmente minha mesa não fica perto da janela e dependo totalmente do uso de luminárias.


Prateleiras e gaveteiros (grande, embaixo da mesa e/ou pequenos sobre a mesa) são muito úteis. Mas não são essenciais, pelo menos para começar. Caso não os tenha, caixas e cestinhas já serão suficientes. O importante é organizar direitinho para ter ordem e saber onde tudo vai ficar. 


Uma lixeira de bom tamanho e perto da mesa (ou sobre ela, se for pequena) é muito importante. 


Deixe sobre a mesa apenas o básico e mais necessário à sua atividade, coisas de uso muito frequente. Procure ter lugar para todas as ferramentas e materiais, para que a superfície da mesa se mantenha o mais livre possível no dia a dia, quando não estiver em uso. E nada de usar sua mesa como apoio para bolsa, chaves, óculos, roupas etc. Desse jeito ela perde a finalidade e de novo você terá um obstáculo a vencer na hora de trabalhar.

A superfície da sua mesa precisa ficar sempre disponível para que você possa espalhar seus materiais na hora que quiser mexer em um projeto. Aquela dica clássica de que tudo deve ter um lugar certo para ser guardado depois do uso é super verdadeira e necessária!


Crie uma hierarquia de uso na hora de determinar onde vai guardar cada coisa. Ferramentas e materiais usados com frequência devem ficar bem próximos à mesa (ou em um cantinho dela), de preferência a uma distância que você alcance sem precisar se levantar. 


Evite ao máximo que materiais fiquem expostos à poeira, a não ser aqueles que são muito utilizados e têm uma rotatividade alta. Caso contrário, vale a pena guardar em caixas ou gavetas. 


Se tiver prateleiras, arrume os materiais nelas de acordo com a frequência de utilização. Mais utilizados ficam nas prateleiras mais próximas da mesa, mais fácil de serem alcançadas. Menos utilizados podem ficar em prateleiras mais altas. O mesmo vale para gaveteiros: materiais mais utilizados nas gavetas superiores e menos utilizados vão para as últimas. 

Para materiais de reposição básicos, por exemplo, refis de lâmina de estilete, grampo de grampeador, grafite de lapiseira, papel de rascunho e outras coisinhas que se use muito, determine um espaço para eles, que fique bem conhecido e à mão, para não perder tempo procurando.  Se possível, coloque texto nas caixinhas e gavetinhas identificando o conteúdo delas. Pode usar etiquetas impressas, escritas à mão, rotuladores etc. 

Itens pequenos

Oatelieh - Dicas de organização do espaço de trabalho
Bandeja, caixinhas, potinhos e cestinhas para organizar itens pequenos, de uso frequente.


Canetas, lápis, lápis de cor, pincéis etc são muito fáceis de arrumar em copos e canecas. Há uma variedade enorme por aí, com estampas lindas e preços razoáveis. Pode ser que você até já tenha algumas em casa que não farão falta na cozinha, dê uma olhada.

Formas de gelo são boas para guardar itens pequenos, pérolas, clipes, brads, florezinhas, ilhoses… Bandejas também são ótimas para organizar a mesa. Comece a olhar tudo com outros olhos, no mercado, nas lojas… Pense nos materiais que tem e imagine se aquele objeto seria adequado para guardar algum deles.


Pastas


Trabalhe com pastas para a organização dos projetos – Pastas L são uma boa opção, práticas e baratas. Podemos comprar várias, para organizar ao máximo. Por exemplo: se você está planejando e separando materiais para um projeto, mas ainda não pretende mexer nele, determine uma pasta para “projetos futuros”.

Coloque nome nas pastas e organize por uma ordem que faça sentido para você. Por exemplo, por tipo (projetos, materiais, inspirações…) ou pela ordem em que serão usadas (projetos em andamento primeiro, projetos futuros depois, na ordem em que irá fazê-los). 


Se você costuma enviar seus trabalhos pelo correio, seja para presentear ou porque vende, pode ter uma pasta com o material necessário para os envios (envelopes, cartões de visita, algum papel explicativo etc).

Eu mantenho uma pasta categorizada como “material de envio”, onde coloco os complementos que vão junto com o meu produto nas vendas: tags/cartões de visita com os dados da minha loja, etiquetas com o meu endereço para colar nas caixas, endereço de envio do cliente, notinha de venda do comprador etc. 


Outro tipo de pasta muito prática são as pastas catálogo, aquelas com vários sacos plásticos dentro. São boas para guardar inspirações (recortes de revistas, fotos, pequenos enfeites como flores e fitinhas), aquelas ideias que a gente rabisca num pedacinho de papel e quer guardar para relembrar depois, sobras de papel que poderão ser utilizadas em outros projetos, notinhas e mil coisas mais.

Evite o acúmulo


Evite o acúmulo de coisas que não usa. Para quem é muito apegado aos seus materiais pode parecer difícil, mas não vale a pena guardar materiais que não queremos mais ou dos quais já enjoamos.

Também acontece muito de termos um material novinho, que compramos achando incrível e que seria super utilizado, mas acabou não sendo bem aquilo que imaginamos e ele fica lá encostado.

Dá muita pena de se desfazer, eu sei, mas ainda é melhor do que guardar sem usar. Não se culpe, acontece e sempre tem alguém que poderá se beneficiar dele. Pense que está dando um presente a alguém e não que desperdiçou dinheiro.

Você pode doar para algum projeto ou escola, vender, dar para um amigo ou até para seus filhos ou outros parentes, se eles curtirem artesanato (meus filhos aproveitam super bem papéis, enfeites, furadores, fitinhas etc, para eles é como ganhar um presente).


Pense em alternativas não convencionais


Às vezes procuramos uma escrivaninha, mas um móvel da seção de aparadores ou balcões de cozinha nos serviria muito melhor. Olhe para todas as possibilidades com olhar criativo, não se limite a procurar por um só tipo de móvel ou objeto. Eu já resolvi vários problemas comprando móveis e objetos que tinham uma finalidade original totalmente diferente da que eu dei pra eles. 

Aperfeiçoe com a experiência


A medida que vai criando uma rotina nos trabalhos, procure observá-la para ir aperfeiçoando seus sistemas de organização, localização dos objetos, necessidades etc. De tempos em tempos dê uma analisada no que pode ser melhorado. 

Flexibilidade


Seja flexível na resolução das suas necessidades. Nem sempre (ou quase nunca) será possível ter a solução ideal, uma mesa enorme, um monte de gavetinhas, nichos e prateleiras. Trabalhe com o que você já tem ou que é possível ter, não fique esperando pela situação ideal.

A mesinha menor fica sob a mesa principal e sai para receber o note, liberando a superfície de trabalho.


Um exemplo: eu abri mão de uma segunda mesa de trabalho dentro do meu quarto pra resolver outros problemas na disposição dos móveis (meu apartamento é muito pequeno). Perdi o conforto de ter uma mesa só para o computador e outra para trabalhar nos projetos. Para resolver a questão, comprei uma mesinha bem pequena, própria pra uso de notebook, que se encaixa embaixo da minha mesa.

Enquanto estou trabalhando (especialmente no horário em que estou só em casa), eu puxo a mesinha e coloco o notebook nela, deixando a minha mesa livre pra mexer nos meus projetos. Quando acabo, retorno o note para a mesa maior e encaixo novamente a mesinha embaixo. Não é a solução ideal, mas é o que eu posso ter no momento, e tem funcionado muito bem.


Organize horários


Dependendo da rotina da sua casa e de quantas pessoas moram nela, pensar em organização de horários (e não só do espaço físico) pode ajudar muito!

Em quais horários do dia a casa estará mais vazia? É possível reservar esse horário para os seus trabalhos? É possível reorganizar a sua rotina e reservar o tempo em que estará sozinha para atividades manuais? Pra mim por exemplo, durante as manhãs eu estou só em casa, o que me permite usar o meu quarto de forma muito mais livre.

Eu me programo para fazer trabalhos mais “bagunceiros” nesse horário, quando posso espalhar materiais pela cama e pelo chão sem preocupação. Perto da hora em que outros familiares chegam, dou uma arrumadinha e volto aos meus limites.


Eletrônicos e distrações não necessárias


Eletrônicos como computador, tablet, celular, distraem muito e acabam “roubando” tempo precioso que poderíamos usar para produzir. Pense na necessidade real de tê-los por perto ou não.

Deixe perto somente aquilo que realmente precise para o andamento dos trabalhos (para mim, computador e impressora são imprescindíveis) e evite ficar entrando em redes sociais.

Pinterest, Instagram, blogs e etc são um paraíso para inspirações, mas acabam nos prendendo por muito tempo e facilmente perdemos a noção da hora. Acabamos deixando passar uma tarde inteira, ou mesmo uma horinha, que teríamos para produzir, fazendo algo que poderia muito bem ser feito em outro horário.

Deixe essas distrações para momentos em que esteja somente relaxando ou em que não pode fazer mais nada (por exemplo, enquanto aguarda uma consulta ou espera em uma fila). 


Sem ansiedade


Evite a ansiedade de querer um espaço pronto onde tudo já esteja funcionando perfeitamente desde o início. Uma coisa é certa:

Só com o tempo, a experiência e o uso do espaço é que vamos sabendo realmente o que funciona melhor para nós, o que fica mais prático, e vamos modificando de acordo.

Pense no espaço de trabalho como algo que nunca estará totalmente pronto, pois nossos gostos mudam e nossas atividades também. A gente cansa mesmo de determinados materiais e/ou técnicas e vai se interessando por outras, o que acarreta em diferentes usos do espaço, diferentes ferramentas e materiais, que em um dia são muito usados e no outro perdem a importância.

O espaço tem que acomodar essas mudanças, ele fica em constante movimento e vai se adaptando. As prioridades mudam, as necessidades da casa mudam, e isso é muito bom, faz parte da diversão! O negócio é arrumar da melhor forma possível com aquilo que temos à disposição, e começar a trabalhar. 

Não tenho nenhum espaço só pra mim

Se você não tiver mesmo nenhum cantinho em casa em que possa montar seu espaço de trabalho, não desanime, ainda assim é possível organizar suas coisas para fazer tudo funcionar bem.

Lembre-se de valorizar aquilo que tem sem ficar triste pelo que não tem, então junte seus materiais e vamos fazer o melhor possível! 


Veja algumas sugestões de organização para este caso: 

1- Use uma maleta ou caixa grande para guardar os materiais, que acomode caixas ou cestinhas menores dentro, para conseguir manter o material miúdo organizado e não perder nada.

2- Estojos ou bolsinhas tipo necessaire são muito úteis para guardar materiais básicos que se usa muito. Eles podem ser colocados rapidamente na mesa na hora de trabalhar e depois guardados com facilidade.

3- Procure em casa o melhor espaço para guardar essa maleta/caixa, que leve em conta: não atrapalhar a circulação da casa nem comprometer espaços necessários para outros usos, mas que ao mesmo tempo seja relativamente de fácil alcance para pegar e guardar novamente.

4- Escolha uma mesa da casa que seja boa para os trabalhos artesanais e que não tenha um uso contínuo (como a mesa de jantar ou uma mesa de centro). Programe seus trabalhos para os horários em que sabe que a mesa estará liberada. Por exemplo, a mesa de jantar durante a tarde, ou no horário em que a casa está mais vazia (aqui a dica de organização dos horários é especialmente válida).

Eu sei que é frustrante ter que parar quando o trabalho está fluindo bem e a cabeça está cheia de ideias, mas se for necessário (por exemplo, você sabe que em 30 minutos os filhos chegarão em casa e estará na hora da próxima refeição) é melhor respirar fundo e guardar tudo direitinho para evitar conflitos e danos ao seu trabalho.

Pense que, já que estava fluindo tão bem, você terá motivação para continuar mais tarde ou no dia seguinte. Arrume com carinho e aproveite enquanto guarda suas coisas para ir planejando os próximos passos do seu projeto, isso ajuda a diminuir a frustração.


Pessoal, escrevi essas dicas com base na minha própria experiência e espero que sejam úteis!

Em um próximo post vou dar dicas sobre aquela que foi apontada por vocês como a principal dificuldade neste assunto: Como MANTER o espaço organizado (clique para acessar).


Beijos e até lá!


Luciana



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *